Consórcio ou financiamento: saiba qual a melhor opção para comprar sua casa própria

Não é mais segredo para ninguém que ter a casa própria é o sonho da grande maioria dos brasileiros, mas para a maioria essa é uma realidade possível somente se a compra for parcelada em muitos anos. Na prática, fazer esse sonho virar realidade não é um processo fácil nem rápido, visto que bens desse porte costumam ter altos valores agregados.

Na compra de um bem com valor elevado, um dos critérios fundamentais nesse processo é a escolha da forma de pagamento, por isso é essencial que você conheça e entenda todas as suas opções, para escolher a que melhor se adeque à sua situação.

Por isso, a Nova Época fez esse post para te mostrar a diferença entre o consórcio imobiliário e o financiamento imobiliário e suas vantagens e desvantagens para você escolher a que se encaixar melhor na sua situação. Não deixe de conferir outras dicas importantes nosso blog! E lembre-se: em caso de dúvidas nossos profissionais estão sempre à disposição para ajudar.

Como funciona o consórcio imobiliário?

O consórcio é uma modalidade de compra na qual você se associa com um grupo de pessoas que têm um objetivo em comum: comprar um imóvel usado ou na planta. Esse grupo se reúne e paga parcelas mensais a uma administradora responsável por fazer a gestão, ou seja, a empresa é responsável por reunir indivíduos que têm como desejo comum comprar um imóvel, considerando uma faixa de valor específica. A contribuição das mensalidades vai para um fundo e deve ser suficiente para comprar no mínimo um bem por mês.

Com esse dinheiro no fundo, sorteios são realizados mensalmente e em cada um deles um participante é escolhido, recebendo sua carta de crédito de acordo com o valor contratado no início do consórcio. Mesmo depois de escolhida, no entanto, a pessoa continua pagando as parcelas até que todos os componentes do grupo recebam sua respectiva carta.

Além do sorteio, é possível ainda conseguir a carta de crédito antes do final do prazo apresentando lances, que correspondem a valores proporcionais a uma parte do bem. No caso dos lances, existem duas possibilidades: livre ou fixo. Porém cuidado, pois os percentuais podem variar conforme as regras da administradora do consórcio.

No caso do lance livre, o indivíduo decide o percentual que deseja oferecer para o fundo. Para ele ser escolhido é necessário que o lance seja um dos maiores no grupo, no caso de o grupo ter vários contemplados por mês, ou o maior do grupo, no caso de ser somente um contemplado. Já no lance fixo, é a operadora que estabelece a porcentagem, por exemplo se ela for de 15%, a pessoa precisa pagar 15% do valor total de crédito para ser contemplada.

Em caso de empate, a administradora observa qual a cota sorteada e qual é a mais próxima dela. Por exemplo, caso a cota sorteada é a de número 10 e pessoas de cota 20 e 50 ofereceram lances, a de número 20 será contemplada já que é a que está mais próxima da sorteada.

Vantagens do consórcio

A primeira vantagem do consórcio é que a burocracia para contratar uma administradora costuma ser menor que a de um financiamento bancário. Além disso, diferente do financiamento, no consórcio não é necessário oferecer um valor como entrada, o que oferece a oportunidade de você guardar esse dinheiro para dar seus lances nos sorteios.

Outra vantagem do consórcio é que o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), normalmente usado como entrada nos financiamentos, também pode ser aproveitado para os lances ou ainda com intuito de complementar a carta de crédito.

Outa grande vantagem dessa modalidade é que não há incidência de taxas de juros sobre o consórcio, já que as administradoras cobram uma taxa de administração. Nesse caso, é importante ficar esperto e comparar as diferentes taxas cobradas entre as empresas. Mesmo com as variáveis taxas, certamente elas serão menores que os juros bancários.