Mulheres no mercado imobiliário: conheça suas conquistas e seus desafios

O mês de Março é um momento bem apropriado para lembrarmos da luta feminina por seu espaço na sociedade e para fazermos reflexões sobre as conquistas das mulheres e toda sua evolução ao longo das últimas décadas, afinal, esse é o mês da mulher. Você sabia que, assim como em quase todas as áreas de atuação, é visível o aumento do número de mulheres no mercado imobiliário? E a popularização dessa profissão entre as mulheres vem acompanhada de outro fator importante: o sucesso.


Nem sempre a atuação feminina foi bem aceita no mercado em geral, especialmente no segmento de imóveis. Até 1958 as mulheres eram proibidas de ocupar esse espaço e exercer essa profissão. No entanto, mesmo com a liberdade profissional feminina surgindo, foi somente na década de 70 que as mulheres passaram a ser mais presentes no mercado de trabalho. Já na profissão de corretor de imóveis, as mulheres só ganharam representatividade nesse segmento do mercado na década de 90. 


Atualmente, a participação da mulher no mercado imobiliário não se limita somente ao exercício da profissão. As mulheres já ocupam cargos de gerência e participam de forma ativa em organizações que representam a classe, como Creci e Secovi. Aos poucos, elas conseguiram conquistar seu espaço nesse segmento e se consolidaram como profissionais, representando mais de 40% da força que impulsiona os negócios com imóveis no país. 


Para comemorar o mês da mulher e o Dia Internacional da Mulher, a Nova Época Imóveis resolveu fazer esse post para homenagear nossas guerreiras! Aqui vamos falar um pouco sobre as conquistas das mulheres no mercado imobiliário, além de apontar os desafios enfrentados por elas e falar sobre a força que elas têm ganhado nesse mercado. E para todas as mulheres, especialmente nossas corretoras, que procuram estar sempre à disposição para te ajudar com o que for necessário, um feliz Dia e mês da Mulher!


Desafios enfrentados pelas mulheres no mercado de trabalho


Ainda nos dias de hoje as mulheres enfrentam barreiras quando o assunto é construir uma carreira. Ainda há diferença salarial entre homens e mulheres. De acordo com alguns estudos, as mulheres ganham um terço do que os homens recebem exercendo a mesma função.


Além disso, ainda existem algumas restrições sobre a presença da mulher em algumas profissões. Por exemplo, ainda existe uma lei que impede o emprego de mulheres em algumas atividades, como as que demandam levantamento de cargas superiores a 20kg.


Ademais, culturalmente falando, na maioria dos lares as responsabilidades domésticas costumam ficar por conta das mulheres, o que resulta em uma jornada exaustiva, onde mulheres que desejam ter crescimento profissional também precisam ceder parte do seu tempo para cuidar da casa e dos filhos. Essa cultura obriga as mulheres a se desdobrar em diversas funções e, por muitas vezes, deixarem a carreira em segundo plano. 


Trajetória e participação das mulheres no mercado imobiliário


Antes de falarmos sobre as conquistas das mulheres nesse segmento de mercado, vamos entender um pouco sua trajetória e participação. Por incrível que pareça, faz menos de 60 anos que as mulheres começaram a trabalhar como corretoras. Como dissemos acima, até 1958, somente homens podiam trabalhar como corretor de imóveis, segundo o Código Comercial Brasileiro. 


A partir da mudança no Código e da abertura do mercado imobiliário, as mulheres passaram a escrever sua história no mercado imobiliário e puderam mostrar seu talento para vendas. No começo, sua representatividade era tímida, mas ao longo do tempo, principalmente após a década de 90, ela passou a ser mais expressiva. 


Apesar do preconceito sofrido, e que ainda teima em aparecer para muitas mulheres nesse segmento, elas vêm mostrando que o espaço conquistado no mercado imobiliário é mais do que merecido. Segundo uma pesquisa do COFECI (Conselho Federal de Corretores de Imóveis), a participação feminina nesse segmento cresceu 144% na última década, o que representa mais de 30% do número de profissionais legalmente registrados no país. Atualmente, as profissionais femininas já totalizam mais de 40% do contingente de profissionais de corretagem do país.


Principais desafios enfrentados pelas mulheres no mercado imobiliário


Como podemos perceber, a presença das mulheres no mercado imobiliário já é bastante expressiva. Tal representatividade é certamente o resultado da luta diária e incansável pelos direitos que são inerentes a todo ser humano, independente da sua condição. Porém, alcançar tudo isso e chegar até aqui não foi nada fácil. 


Os obstáculos sempre existiram e continuam a desafiar o cotidiano das mulheres, seja porque precisam conquistar algo ou porque já alcançaram uma posição cobiçada e de alta responsabilidade. Mas quais os principais desafios enfrentados pelas mulheres nesse segmento que ainda persistem nessa luta? Vamos falar um pouco deles agora:


Dupla jornada


O que parece uma batalha superada para algumas mulheres ainda é a dura realidade para a maioria, mesmo aquelas que já detêm certa estabilidade financeira. A dupla jornada não é um problema fácil de lidar, muito menos de eliminar da rotina feminina. 


Infelizmente, ainda é muito alto o número de mulheres que ainda precisam se preocupar, na maior parte do tempo, com a educação dos filhos e tudo o que envolve essa missão, com o cuidado da casa, do marido e até a gestão das contas domésticas. 


Acrescentado a isso, as mulheres ainda enfrentam dificuldades cotidianas comuns para todos, como enfrentar os trânsitos absurdos das grandes cidades, dependendo de transportes públicos lotados, chegando tarde em casa para começar uma nova etapa de trabalho, dessa vez com os afazeres domésticos. 


Preconceito


As mulheres corretoras de imóveis já sofreram preconceitos escancarados nesse setor, inclusive na própria lei, como citamos lá em cima, e ainda sofrem. Porém, já é notório que essas barreiras vêm cedendo ao longo do tempo e a convivência entre homens e mulheres se torna cada vez mais igualitária. Porém, é evidente que ainda há muito a ser feito.


Isso porque não basta apenas eliminar um artigo disposto em uma lei do século XIX. As principais atitudes e até mesmo tomadas de consciência devem surgir do convívio social e das mudanças dos costumes, o que, apesar de ainda existirem muitos casos de inaceitáveis contra mulheres, já está acontecendo. 


Já no mercado de trabalho, especialmente no segmento imobiliário, é de conhecimento de todos que atuam na área que a influência feminina é muito lucrativa e positiva para os negócios, embora ainda aos tropeços, o pior, em termos de preconceito, já passou. 


Características que dão destaque às mulheres no mercado imobiliário


As mulheres no mercado imobiliário costumam ter algumas vantagens comportamentais e, por questões culturais, acabam desenvolvendo algumas habilidades muitas vezes deixadas de lado pelos homens. Algumas dessas habilidades são:


1. Atenção extra aos detalhes


O sucesso na negociação de um imóvel está, muitas vezes, em pequenos pontos. Por terem um olho um pouco mais clínico para detalhes, é mais fácil para as mulheres perceberem com facilidade certas características importantes de um imóvel, como a divisão da planta, a qualidade dos acabamentos, o estilo da construção. 


Dessa forma, elas são capazes de valorizar os pontos positivos com mais ênfase. Essa mesma atenção também permite que as corretoras antecipem os possíveis problemas que os clientes encontrarão no imóvel, sendo capazes de prever soluções para contorná-los. 


2. Compreensão do contexto


Esse ponto leva em consideração um aspecto um pouco mais subjetivo das relações com os clientes: a capacidade de enxergar a dinâmica pessoal. Cada cliente que chega até uma corretora traz consigo uma história e uma série de necessidades que precisam ser atendidas pelo imóvel e pela sua localização. Porém, nem sempre esses pontos são concretos e tangíveis.


Algumas questões, como bem-estar e conforto, não podem ser medidas com uma trena. Por conta disso, as mulheres no mercado imobiliário levam vantagem ao perceberem, com mais facilidade, o que os clientes precisam e qual imóvel será capaz de desempenhar essa função.


3. Habilidade de negociação


A criatividade, a empatia e a sensibilidade femininas também ajudam a colaborar para melhorar as habilidades de negociação. Afinal, para um bom profissional de corretagem, de nada adianta saber identificar o imóvel certo para cada cliente se não houver sucesso no fechamento do negócio. As mulheres costumam ter mais jogo de cintura nesse quesito, por isso ganham destaque nas negociações.


O pensamento ágil e empático que as mulheres costumam ter ajudam a contornar empasses e buscar as melhores soluções. Com essa atenção às suas necessidades, os clientes também ficam em uma posição mais colaborativa, o que facilita muito o processo.


4. Imaginação e criatividade


A capacidade criativa das mulheres é outra característica que ajuda a dar destaque para elas nesse mercado. O sucesso das mulheres nesse aspecto está na capacidade de buscar soluções criativas para valorizar aquilo que o cliente não gosta. 


Sugerir uma reforma, um novo uso para o ambiente ou até mesmo alguns truques de decoração costumam dar muitos pontos extras para as profissionais. Isso porque, com a ajuda do olhar aguçado da corretora, fica mais fácil para o cliente imaginar como o imóvel pode atender suas necessidades. 


5. Facilidade na comunicação


As mulheres são mundialmente conhecidas por sua capacidade e facilidade comunicativa, é quase cultural. Muitos ainda podem enxergar essa habilidade de forma pejorativa, porém as profissionais de corretagem estão conquistando seu espaço e dominando o mercado com seu uso. Isso porque a postura proativa, aberta e sincera com que as mulheres constroem as relações com os clientes facilita, e muito, a comunicação.


Quanto mais claras forem as trocas de informações, maiores serão as chances de sucesso do profissional. Outro importante ponto nesse segmento é a construção de networking, que exige uma boa comunicação. Além da relação direta com os clientes, a comunicação constante também permite que as mulheres estejam sempre por dentro do que acontece no mundo. 


A trajetória da mulher no mercado de trabalho, especialmente no segmento de imóveis, não tem sido fácil. Enfrentamos dificuldades e preconceitos desde o começo dos tempos e até mesmo das nossas carreiras. Nossa luta por mais conquistas e direitos ainda não acabou, mas isso não vai nos impedir de crescer e ganhar nosso espaço, assim como nunca impediu.


Nesse Dia Internacional da Mulher, nós da Nova Época desejamos a todas as guerreiras muita força e agradecemos àquelas que vieram primeiro e começaram a traçar o caminho para as futuras gerações! 
 

 

 

Escrito por Mariana Carvalho