House-flipping: entenda funciona e como lucrar com esse tipo de investimento

Como já dissemos em alguns posts, investir no mercado imobiliário ainda é uma das melhores maneiras de você aplicar seu dinheiro. Esse é um tipo de investimento com várias opções, afinal, você pode tanto investir em unidades residenciais na planta, quanto em apartamentos reformados, salas comerciais, fundos imobiliários, as possibilidades de investimento são praticamente infinitas nesse segmento de mercado.

O mercado imobiliário está sempre inovando e se reinventando e é graças a essa resiliência que o setor seguiu aquecido mesmo em tempos de pandemia. Uma das modalidades que já é muito conhecida nos EUA e tem ganhado cada vez mais força no Brasil é o house-flipping¸ também conhecido aqui como flipping de casas.

Você já tinha escutado falar nesse termo? Caso esse tipo de aplicação ainda seja desconhecido para você, pode ficar tranquilo que a Nova Época Imóveis  está aqui para te atualizar de tudo sobre o mercado imobiliário, lembra? Por isso preparamos esse post explicando como funciona essa nova tendência e tudo o que você precisa saber dela. Não deixe de conferir nosso site para mais atualizações desse mercado e, em caso de dúvidas, contate um dos nossos associados!

Afinal, o que é house-flipping?

Traduzindo para o português da forma mais informal, house-flipping quer dizer “dar uma sacudida na casa” ou “casa sacudindo”. Apesar da tradução um tanto quanto duvidosa, o significado é mais ou menos por aí, já que a modalidade de aplicação house-flipping ou flipping de casas consiste na compra de um imóvel depreciado, na sua reforma e, logo em seguida, na sua revenda. Essa modalidade de investimento tem como principal foco o lucro rápido.

A ideia principal aqui é adquirir imóveis baratos, muitas vezes rejeitados, e promover uma transformação digna antes da venda, o que inclui reforma e decoração. No Brasil, essa estratégia ainda é relativamente nova, mas nos EUA o house-flipping é uma das modalidades mais famosas, sendo a taxa de retorno do investidor acima dos 40%.

Um estudo realizado pela Archademy, empresa especializada em arquitetura, revelou que a busca por renovação de imóveis no Brasil aumentou 68% desde o ano passado e a compra com intenção de redecoração, ou seja, house-flipping, subiu 42%, sendo a tendência para os próximos anos de ainda maior crescimento. A pandemia tem uma relação direta com esses aumentos.

Com a quarentena e o incentivo ao distanciamento social que começou no ano passado e se estendeu até meados deste ano, a relação das pessoas com o lar se modificou. Ele foi ressignificado como lugar de lazer, estudo, trabalho e principalmente pelo imenso número de empresas que adotou o trabalho remoto permanentemente, e, até mesmo, de exercícios. Com isso, a busca por imóveis mais amplos e afastados do centro aumentou na mesma proporção que os financiamentos ficaram mais acessíveis.

Qual a diferença entre house-flipping e IBuyer?

E de IBuyer, você já ouviu falar? Tanto house-flipping quanto IBuyer são modalidades de investimento no mercado imobiliário no Brasil e em boa parte do mundo. Como falamos acima, o flipping de casas é a compra, reforma e revenda de imóveis. Em tese, essa negociação pode ser feita por qualquer investidor, seja ele uma pessoa física ou jurídica, podendo usar das técnicas de compra e venda tradicionais do mercado, como a compra direto com o proprietário ou leilões de instituições financeiras.

Já os IBuyers, para quem não está familiarizado com o termo, são empresas que atuam dentro do mercado imobiliário e utilizam novas tecnologias e ciência de dados para avaliar e incentivar propostas de compra de imóveis. Nesse caso, a tecnologia é usada para garantir eficiência desde o primeiro passo do processo de negociação, onde itens pré-definidos e não subjetivos são avaliados e precificados justamente através de algoritmos fixos.

Como fazer house-flipping?

Para fazer um negócio bem sucedido, os investimentos dessa modalidade precisam de muita atenção. Isso porque, segundo especialistas orientam, é na compra que está o lucro, ou seja, é importante conseguir comprar o imóvel por um preço abaixo do mercado. Dessa forma, mesmo com os gastos da reforma e decoração, você conseguirá ter lucro na revenda pelo valor de mercado.

Uma dica para te ajudar a evitar erros ao tentar esse tipo de investimento é que você visite leilões de apartamentos, onde você consegue ótimos preços, e vá aos imóveis para checar em que estado está sua estrutura. Além disso, você precisa calcular quase de forma exata quais seriam os custos da reforma antes de fechar qualquer negócio. Fique atento, pois a reforma deve custar entre 10% e 15% do valor do imóvel.

Dicas rápidas para quem vai fazer house-flipping

  • Use a regra dos 70% para investir em house-flipping: você não deve pagar mais do que 70% de diferença entre o valor após a reforma e o custo dos reparos necessários;
  • Pesquise o custo médio da reforma antes de decidir qualquer coisa: cada projeto tem suas particularidades, por isso, é necessário que você esteja a par do preço médio dos materiais, mão de obra, prazos de entrega, você deve anotar todos os custos e fazer as contas;
  •  Preste atenção ao que vale à pena ser reformado: algumas obras podem sair caro demais e acabam não compensando o investimento feito, por isso, fique atento aos preços;
  •  Analise a documentação: não deixe de analisar cuidadosamente toda a documentação do imóvel para ver se não existem empecilhos para sua venda posterior.

Entendeu o que é o house-flipping? Já pensou ou pensa em fazer uma aplicação dessas? Não deixe de entrar em contato com um dos nossos corretores em caso de interesse e, para mais informações sobre o mercado imobiliário e suas novidades e tendências, confira nosso blog!

 

 

Escrito por Mariana Carvalho

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

Ao enviar, aceito a Política de Privacidade