Depreciação de imóveis: entenda o que é e como calcular

Você já ouviu falar no termo “depreciação de imóvel”? Para quem ainda não conhece, o entorno do edifício e a idade de um apartamento são alguns dos fatores que podem levar à depreciação de imóveis, que é a perda de valor de um bem em função do seu tempo de vida. Este é um custo presente em ativos imobilizados, como veículos, imóveis, máquinas ou instalações.

Na hora de adquirir um novo imóvel, você precisa ficar atento a todas as etapas do processo. É essencial, principalmente, que você preste atenção nas questões que vão além dos pré-requisitos comuns, como vaga na garagem, número de quartos funcionais do apartamento e localização. Acima de tudo, você precisa verificar se o imóvel tem potencial de desvalorização.

Além de um imóvel usado ser colocado no mercado com um preço abaixo dos novos lançamentos imobiliários da região, ao longo dos anos, existe ainda a possibilidade de que o bem desvalorize em relação ao valor de compra ou da avaliação de um corretor. E é nesse caso que entra o cálculo da depreciação de imóvel. Inclusive, essa taxa é importante para fazer uma estimativa do valor do seu futuro be, o que pode influenciar em decisões orçamentais para reformas e no uso do imóvel como investimento.

Para te ajudar a fazer um bom investimento imobiliário, a Nova Época Imóveis elaborou esse post com alguns dos fatores que podem levar à depreciação de um imóvel, além de como fazer o cálculo dessa taxa de depreciação. Lembre-se: é sempre importante ter a ajuda de um especialista em avaliações de imóveis para fazer esse cálculo, por isso, se você precisa de ajuda nesse quesito, entre em contato com um dos nossos corretores!

O que é a taxa de depreciação de imóveis?

A depreciação de qualquer produto ou bem significa a sua desvalorização financeira, ou seja, é a redução do preço de determinado imóvel, de um carro ou de qualquer outro objeto ao longo do tempo. Esse é um ponto muito importante para quem quer investir em imóveis e para o setor imobiliário que, na hora de calcular o valor de um imóvel para venda, precisa considerar o coeficiente de depreciação, além dos fatores externos de valorização ou desvalorização que vão além do tempo de vida do edifício.

Como dissemos acima, essa perda de valor pode ser consequência de modificações ocasionadas pela idade do bem, pela sua deterioração interna, pela deterioração do edifício ou por mudanças na região onde ele está localizado. Entende-se, então, que a depreciação de um imóvel é o cálculo da perda de valor do bem em relação ao tempo, por isso, sua estrutura não deve ser negligenciada.

Fatores levam à depreciação de um imóvel

Para a avaliação de mercado do valor do imóvel, o cálculo da depreciação terá grande relevância, afinal, ela considera o tempo de uso do bem. Por isso, é essencial que, antes de fechar o negócio, você procure saber todas as informações descomplicadas sobre o que pode causar a depreciação de um bem. Isso pode ser de grande ajuda na tomada de decisão. Evite deixar que o deslumbramento por um imóvel tome a decisão por você, vá atrás de todas as informações necessárias para que essa transação seja segura.

Aqui listamos alguns fatores que levam à depreciação do imóvel, assim, você pode ficar atento quando se interessar por um:

  • Estado de conservação: se o comprador tiver que fazer grandes reformas e obras no imóvel, o preço da propriedade sofrerá queda;
  • Segurança: bairros que têm problemas de segurança, com altos índices de furtos e roubos, também podem desvalorizar o imóvel;
  • Poluição sonora: imóveis localizados em grandes centros ou ruas muito movimentadas, com muitos ruídos, também sofrem desvalorização;
  • Garagem: outro fator que pode abaixar o valor do imóvel é a falta de garagem, pois seu comprador terá que gastar mais com o aluguel de uma.

Como calcular a depreciação de um imóvel?

Existem diversas maneiras de calcular a depreciação de um imóvel. Aqui vamos dar destaque para os mais importantes:

1. Método linha reta

O método linha reta é o mais usado para calcular a depreciação de imóveis alugados. A fórmula consiste em: Vx = [(N – X)] * Pd + Pr, sendo esses itens:

Vx – coeficiente de depreciação do imóvel;

N – vida útil do imóvel;

X – idade real do imóvel;

Pd – parcela depreciável (em decimal);

Pr – parcela residual (em decimal).

Por exemplo, se você tem um imóvel com a idade real de 10 anos e vida útil de 50 anos e ele custou R$500 mil. A parcela residual de uma benfeitoria é de 20% e a parcela depreciável de 80%. Com isso, o cálculo seria:

Vx = [(50 – 10)/50] * 0,80 + 0,20

Vx = 0,84

Nesse caso, o coeficiente de depreciação do imóvel é de 0,84, então, o valor depreciado será de 0,84 * R$500 mil, ou seja, ele valerá R$420 mil.

2. Método do valor decrescente

Já esse método calcula a depreciação do imóvel por uso, desgaste e pela manutenção normal que pode ocorrer em um imóvel. O coeficiente de depreciação, nesse caso, é obtido através da fórmula Kd = (1 – R)x, sendo os itens:

Kd – coeficiente de depreciação;

R – razão de depreciação;

x- idade aparente da propriedade.

Para usar esse segundo método, a recomendação é pedir a ajuda de um especialista em avaliação e perícias de imóveis, pois a razão da depreciação pode variar conforme o tipo de imóvel – se é apartamento simples ou de luxo – e a sua vida útil em anos.

Por que é importante fazer o cálculo de depreciação de um imóvel?

Entender o quanto um imóvel desvaloriza com o tempo e por conta de outras circunstâncias é de essencial ajuda para que você possa tomar boas decisões, principalmente de negócios. Para você que trabalha com compra e venda de imóveis, calcular a depreciação dos imóveis é uma ótima maneira de exercitar a capacidade de decisão consciente. Mostra que você está sob controle de tudo, além de gerar economia na hora de concretizar os negócios.

Calcular a depreciação de um imóvel antes de fazer qualquer negócio com ele é um reflexo de que o vendedor quer agir baseado em fatos e dados, não seguindo a intuição, e isso é ótimo nesse setor do mercado. Você ganha pelo menos dois benefícios fazendo esse cálculo:

1. Negociações lucrativas

Aplicar os princípios da depreciação em todas as operações de compra e venda de um imóvel pode te ajudar a garantir mais acordos lucrativos e vantajosos, afinal, essa conta te prepara para:

  • Estabelecer o melhor preço de venda de um imóvel;
  • Decidir até quanto pagar por um imóvel, antes mesmo de entrar em uma negociação;
  • Escolher o melhor momento para vender um imóvel;
  • Saber quando aproveitar uma oportunidade de mercado e comprar;
  • Usar os melhores argumentos em uma negociação de compra ou venda.

2. Investimentos inteligentes

A decisão de comprar ou de manter um imóvel, na maioria das vezes, passa pela cabeça de quem já pensa em realizar reformas no local com o intuito de aproveitar melhor seu uso. Os custos disso também precisam ser levados em consideração na hora de definir qual o melhor investimento.

A depreciação de imóveis também é útil nesse caso, pois, ao saber quanto um imóvel desvaloriza, é mais fácil definir o orçamento máximo de reforma para ele. Caso o valor necessário para deixá-lo nas condições ideais for mais alto que o orçamento, a melhor opção é a venda ou abrir mão da compra.

Observar essa conta te ajuda a diluir os riscos, a ganhar previsibilidade de retorno e a facilitar a tomada de decisões. É a maneira mais fácil e rápida de desviar de especulações e ter maior potencial de sucesso nas negociações.

Deu para entender o que é e como calcular a depreciação de imóveis? Não se esqueça, a Nova Época tem um portfólio enorme de imóveis à venda esperando por você. Entre no nosso site e confira nossas ofertas!

 

 

 

Escrito por Mariana Carvalho