Seguro fiança: entenda o que é e como funciona

Assim como na hora de comprar um imóvel, quando você aluga um espaço também é preciso cumprir algumas etapas e prestar atenção em inúmeros detalhes. Dentre essas etapas está a necessidade de apresentar uma garantia para o contrato de locação, usada em casos de inadimplência, e a comprovação de renda suficiente para pagar o aluguel e as taxas em dia.

O mercado imobiliário trabalha com algumas opções de garantia, como o depósito caução e indicando um fiador. Mas a Nova Época Imóveistrouxe outra solução que traz vantagens para todos os envolvidos no processo: o seguro fiança. Com ele, o locador tem a segurança de receber os valores da locação e o locatário pode decidir morar em um lugar novo com a liberdade de escolher o imóvel sem depender de ninguém.

Você já conhece o seguro fiança? Caso ainda não, não precisa ficar preocupado! A Nova Época vai explicar tudo o que você precisa saber sobre essa modalidade e como calculá-la. E caso você esteja pensando em sair do aluguel, a gente te ajuda a encontrar o imóvel ideal para você e sua família, basta entrar em contato com um dos nossos associados!

O que é seguro fiança?

O seguro fiança é uma das opções de garantia que podem ser exigidas pelo locador de um imóvel e incluídas no contrato de aluguel pelo mesmo. É uma garantia que deve ser paga pelo locador, assim como o aluguel, e costuma ser parcelada ao longo dos meses de contrato. O seguro fiança traz mais segurança ao locador na hora do recebimento dos valores da locação.

A validade do seguro fiança depende de cada contrato, variando de acordo com o locatário. Ele pode durar todo o período de locação, porém, é mais comum que precise renová-lo após determinado tempo. Ele é semelhante aos outros tipos de seguro (residencial ou de veículos), porém, seu diferencial é que, embora o inquilino seja o responsável por contratar o seguro, é o proprietário do imóvel que fica como segurado. Ou seja, é ele quem recebe as indenizações equivalentes às apólices.

O seguro fiança costuma ser uma opção mais viável para o locatário, tanto financeiramente quanto praticamente, do que encontrar alguém para ser o fiador, já que esse processo exige uma série de condições que a pessoa precisa preencher para entrar como fiador em um contrato de aluguel.

Esse tipo de seguro costuma cobrir o valor do aluguel e as taxas referentes a ele, como a de condomínio e IPTU, por exemplo, mas podem ser inseridas na apólice coberturas adicionais para impostos, contas de luz ou de água, taxas jurídicas em ações de despejo, danos ao imóvel, pintura, multa por rescisão, entre outros.

Como funciona o seguro fiança?

O valor a ser pago pelo seguro fiança vai depender das taxas oferecidas por cada seguradora e pela cobertura escolhida. Geralmente o locador é quem toma as decisões acerca do que esse seguro irá cobrir, além do pagamento do aluguel em atraso, e vai apresentar a proposta para a imobiliária e os interessados no imóvel.

Dependendo do que o locador escolher, o valor pode variar entre uma ou duas vezes o preço do aluguel mensal, podendo ser parcelado o valor total a ser pago, dependendo da seguradora. A utilização desse seguro é solicitada pelo proprietário do bem quando necessário, seguindo o que foi acordado no contrato. Para acioná-lo, o locador deve entrar em contato com a seguradora após a identificação do atraso no pagamento do aluguel.

Dependendo do caso, a companhia o indenizará pagando o valor atrasado e as possíveis parcelas seguintes também não pagas pelo locatário. Caso a situação não se regularize, uma ação de despejo pode ter que ser realizada.

Para quem é indicado o seguro fiança?

O seguro fiança pode ser usado para cobrir a locação de diversos imóveis, tanto residenciais quanto comerciais. Porém, existem situações nas quais esse serviço não se aplica, como é o caso de proprietários de espaços alugados para hotéis, estacionamentos ou estabelecimentos similares.

Esse seguro é mais indicado para locadores que buscam uma tranquilidade a mais em relação ao risco de inadimplência em suas propriedades. Ele também é uma ótima opção para locatários, já que ele substitui a necessidade de oferecer um caução ou de procurar alguém que esteja qualificado para ser seu fiador no aluguel do imóvel.

Além da cobertura básica com o valor do aluguel e algumas taxas referentes ao imóvel, o prêmio da apólice do seguro fiança também pode ser usado para cobrir possíveis danos que o locatário tenha causado ao imóvel no tempo que permaneceu nele. Algumas seguradoras oferecem, ainda, benefícios extras, como assistência 24 horas para reparos e serviços de chuveiro, por exemplo.

Na hora de fechar o contrato, outros serviços também podem ser ofertados, como incluir a cobertura dos bens que estão no imóvel alugado. Por exemplo, é possível cobrir móveis planejados, ou seja, que estão fixos na parede de maneira definitiva.

Quais as vantagens do seguro fiança?

Para o locatário, a principal vantagem desse serviço é a dispensa em relação ao fiador, afinal, esse costuma ser um dos maiores contratempo na hora de alugar um imóvel, pois, pedir para outra pessoa se responsabilizar pelo risco de inadimplência sua pode ser constrangedor, além de ser uma responsabilidade que nem todos abraçariam.

Já em relação ao caução, outro tipo de garantia muito utilizada, esse seguro costuma ser mais barato no curto prazo e tem seu pagamento facilitado. Isso porque, geralmente, os locadores e as imobiliárias solicitam um caução no valor de, no mínimo, três aluguéis. Essa quantia precisa ser disponibilizada integralmente logo na assinatura do contrato e, muitas vezes, acaba dificultando o processo para o locatário. Já o seguro tem seu valor menor e permite parcelamento.

Porém, as vantagens desse seguro não ficam somente do lado do locatário. O proprietário do imóvel também usufrui várias vantagens ao usar esse serviço, como a segurança em relação ao pagamento, um dos maiores benefícios. Isso porque tudo é tratado com a seguradora e se resolve rapidamente. Outro aspecto positivo para o locador é a diminuição da burocracia, que torna um aluguel mais rápido e evita que o imóvel fique parado por muito tempo sem gerar renda.

Quais as desvantagens do seguro fiança?

Infelizmente, o seguro fiança não vive só de vantagens. Ele pode apresentar também algumas desvantagens para o locatário, sendo uma delas que o valor pago pela contratação da apólice não é devolvido, diferente do caução. Isso porque, ao contratar um seguro, é como se a seguradora tomasse o lugar de fiador no contrato de aluguel.

Outro aspecto negativo desse seguro é que a seguradora pode não aprovar os documentos do inquilino, dependendo da análise feita pela empresa. Assim como no caso das imobiliárias, as seguradoras também precisam realizar uma avaliação da renda, o que pode se mostrar um contratempo para autônomos.

É indispensável também que o locatário fique atento às condições do seguro, pois nem sempre ele cobrirá todo o contrato de aluguel e, a cada período estabelecido pela seguradora, o serviço deverá ser renovado. Ou seja, o pagamento da apólice deve ser feito novamente para continuar assegurado.

Deu para entender como funciona o seguro fiança? Com essas vantagens e desvantagens você pode analisar se ele realmente vale à pena na sua situação. E não se esqueça, caso você esteja procurando por um imóvel novo, a Nova Época oferece mais de 14 mil opções nas melhores localizações do Rio de Janeiro!

 

 

Escrito por Mariana Carvalho