Saiba quais fatores podem impedir que seu financiamento imobiliário seja aprovado

O financiamento imobiliário é um tópico que já foi muito discutido aqui por ser uma das opções mais procuradas pelos brasileiros na hora de comprar um imóvel. Isso acontece por conta das inúmeras vantagens que essa modalidade oferece, como um maior prazo de pagamento e até mesmo algumas facilidades com o FGTS.

Após a decisão de se mudar ou comprar uma casa própria, você vai decidir qual imóvel comprar, vai pesquisar sobre a reputação da construtora e da incorporadora e por último, mas não menos importante, vai buscar por uma boa condição de financiamento, já que ele é o caminho mais viável para quitar o valor do bem a longo prazo, com parcelas que caberão no seu orçamento.

Porém, antes de dar esse passo importante, você deve ficar atento aos erros que podem comprometer ou até mesmo impedir que você ganhe essa ajuda para realizar seu sonho. É essencial que você pesquise, pois essa não é uma conquista para todos. Isso porque o cadastro de cada cliente deve ser avaliado e aprovado antes que o crédito seja liberado e nem todos os cadastros passam.

Você deve ficar atento, pois alguns fatores podem influenciar na decisão do banco de aprovar ou não seu financiamento. Para te ajudar a ter seus créditos aprovados sem nenhum perigo, a Nova Época fez esse post enumerando o que pode comprometer ou até mesmo reprovar um financiamento imobiliário para que você possa ficar atento e se prevenir. Por isso, preste atenção para não cometer nenhum erro e ter seu sonho frustrado.

1. Nome negativo

Além de ser um medo recorrente dos brasileiros, esse é um dos principais motivos que podem atrasar ou até mesmo reprovar a concessão do crédito imobiliário. Ter seu “nome sujo” ou negativo quer dizer que você tem alguma restrição para obter crédito junto às instituições financeiras e mais de 40% da população tem seu nome negativo.

É essencial para os bancos terem garantias sólidas de que receberão os pagamentos no prazo acordado no contrato do financiamento e uma dessas garantias é que eles analisem, em conjunto com as administradoras do cartão de crédito e órgãos de proteção, qual é a real situação financeira do comprador. Nesse processo, um perfil de crédito dos compradores, chamado “score”, é traçado com o cruzamento de informações do cliente. Caso esse “score” seja baixo, o financiamento pode ser recusado ou as taxas a serem pagas podem ser maiores.

2. Problemas com a Receita Federal ou INSS

Caso você pretenda comprar um imóvel com a ajuda do financiamento imobiliário, você não pode ter problemas por conta de impostos de renda que não foram entregues, por exemplo. Problemas e questões que envolvem um desses dois órgãos federais, como problemas com o CPF ou dívida ativa devido a impostos atrasados também podem dificultar bastante ou até mesmo não permitir a liberação do crédito imobiliário.

3. Não enviar a documentação necessária

Esse é um erro muito comum, mas também muito fácil de ser evitado. A documentação exigida é uma forma de o banco garantir acesso a todas as informações necessárias e, com isso, conseguir determinar todos os possíveis riscos envolvidos na negociação. Para facilitar a aprovação do financiamento é essencial que você separe toda a documentação exigida pelo banco.

Na hora de juntar os documentos exigidos, você pode contar com a experiência que as imobiliárias ou a assessoria de crédito têm nesse processo para resolver toda a parte burocrática. Recorrer e pedir a ajuda dessas empresas pode poupar muito tempo e evitar frustrações.

4. Ultrapassar o limite de idade

Muitos podem não saber, mas existe um limite de idade para que a instituição financeira possa aprovar o crédito imobiliário para o cliente. Esse limite existe porque os bancos precisam ter a segurança de ter o retorno do investimento e isso não pode acontecer caso o contratante tenha uma idade mais avançada.

O prazo do financiamento é contado até o contratante do serviço chegar aos 80 anos e, caso passe disso, o contrato pode ser desaprovado. Porém, fique atento, pois é possível contornar essa regra, já que os bancos oferecem a possibilidade de diminuir esse prazo e aumentar o sinal. Assim, as parcelas não comprometem mais de 30% da renda familiar e muito dificilmente ultrapassarão os 80 anos do comprador.

5. Critérios internos de crédito

Pode acontecer do banco reprovar o financiamento imobiliário mesmo que o cliente acredite que tem capacidade de pagar as parcelas ou que ele não tenha nenhuma negativação. Não é comum, mas pode acontecer do banco simplesmente recusar o financiamento seu dar uma justificativa, já que ela não é obrigatória.

A instituição financeira não costuma justificar a recusa do financiamento para evitar constrangimentos ou eventuais insistências, reconsideração das informações ou pedidos de revisão. A resposta padrão para clientes recusados sem motivos aparentes é que o financiamento foi recusado por critérios internos de crédito. Para evitar esse tipo de situação, é importante que você se informe sobre quais os critérios analisados pelos bancos para poder se prevenir.

Esses foram alguns dos motivos mais comuns para o financiamento imobiliário ser recusado. Lembre-se de pesquisar e ficar sempre atento para que você não se frustre ou se decepcione.