Juros de mora: entenda o que são, como efetuar seus cálculos e como evita-los

Você já esqueceu de pagar alguma conta no prazo e se deparou com a cobrança de custos a mais no pagamento? Esses juros têm um nome: juros de mora. Eles representam a multa diária por esse atraso. Isso quer dizer que o custo desses juros pode variar dependendo do tempo de atraso no pagamento da conta, como uma “bola de neve”: quanto mais tempo você atrasar, maiores serão as parcelas.

Esses juros representam a taxa de compensação que pune o atraso no pagamento de um boleto ou fatura e tem como objetivo estimular o consumidor a manter o pagamento das suas contas em dia, conforme acordado, para não incidirem custos maiores. Por isso, ter um pouco de organização e planejamento financeiro é essencial para que você não seja penalizado de forma alguma.

Para te ajudar a entender melhor o que de fato significam os juros de mora, a Nova Época Imóveiselaborou esse post para explicar o que são esses juros, como calcular essa cobrança e qual a diferença deles em relação a outros tipos de juros. Além disso, também enumeramos algumas dicas para te ajudar a evitar que sua renda seja afetada ou comprometida por esses gastos muitas vezes desnecessários. E em caso de dúvidas não deixe de entrar em contato com um dos nossos associados!

O que são os juros de mora?

Como explicamos acima, quem atrasa alguma conta acaba se deparando com esses juros. Mas afinal, o que eles significam? Juros de mora ou juros moratórios são uma correção monetária que serve para ressarcir o credor pelo atraso dos pagamentos, ou seja, é uma cobrança para compensar o atraso do pagamento de uma conta.

Os juros de mora são cobrados em cima do valor que está em aberto e aumentam de acordo com o tempo de atraso na quitação. Isso significa que quanto mais dias uma conta fica em aberto após seu vencimento, maior será a incidência desses juros. Esse tipo de incidência pode estar presente em diferentes situações: juros de mora de cartão de crédito, em boletos e até mesmo em linhas de crédito pessoal.

Para entender o conceito desse tipo de cobrança, primeiro você precisa enxergar a mora como atraso e, assim como em outros casos de atraso ou demora para quitar um pagamento, esses juros são usados como uma forma de estimular o pagamento em dia por parte dos consumidores. Por isso, esses juros são vistos como um estímulo para que o consumidor evite inadimplência e novas cobranças adicionais.

Mas calma, os juros de mora não são sinônimos de uma cobrança enorme como multa. No caso desses juros, é feito um cálculo somente sobre a parcela em atraso e sobre o tempo que a conta está em atraso. Sua porcentagem é de no máximo 1%, sendo definida pelo Código Civil e pelo Código Tributário Nacional.

Como calcular os juros de mora?

Para entender como calcular os juros moratórios, é preciso partir da base de que a taxa máxima desses juros é limitada a 1% do valor da dívida ao mês, ou seja, é necessário considerar os 30 dias de um mês e dividir a taxa cobrada por esse tempo, já que os juros estão relacionados de maneira direta ao tempo de atraso da dívida.

Quando o atraso do pagamento é inferior a 30 dias o cálculo é proporcional: 0,0333% por dia de atraso, que é aplicado sobre o valor da conta. Isso quer dizer que, até o dia do pagamento, os juros vão se acumulando proporcionalmente ao prazo mensal, dia após dia.

Como exemplo desse cálculo, considerando a incidência dos juros de mora a partir da citação, vamos imaginar que alguém está devendo uma prestação de R$ 1000, com uma taxa de juros de mora de 1% ao mês. O vencimento dessa conta foi no décimo dia do mês, porém a conta está sendo paga somente no dia 30. Nesse caso, o cálculo dos juros ficaria:

  • 1000,00 x (1% ÷ 30) x 20 dias de atraso = 1000 x 0,67% = R$ 6,70

Assim sendo, podemos observar que o valor final a ser pago, contando com os juros moratórios aplicados, é de R$ 1006,70, ou seja, o valor inicial da conta somado ao valor da conta final dos juros.

Quais as diferenças entre multa e juros de mora?

Quando falamos de juros de mora, é certo que outro tipo de cobrança também vai surgir: a multa de mora e, ao contrário da cobrança acima, essa multa é fixa e não depende do tempo de atraso do pagamento da dívida. Ou seja, se você pagar uma parcela de um empréstimo pessoal, seja 15 ou 30 dias depois, a porcentagem será a mesma, sem correção de juros.

Em contrapartida, é importante lembrar que, apesar dessa porcentagem diferir de uma instituição financeira para outra, a multa de mora também tem regras: a que vale em negociações entre clientes e fornecedor de produtos ou serviços e a válida para contratos de duas pessoas jurídicas em parceria comercial.

No primeiro caso, o valor da multa de mora não pode ser maior que 2% do valor da cobrança, segundo o Código de Defesa do Consumidor, e no segundo caso as multas costumam variar entre 10% e 20%, de acordo com o que estiver previsto em contrato.

Para calcular a multa de mora, seguindo o mesmo modelo do exemplo acima, vamos estimar quanto se paga de multa por atraso na mesma conta de R$ 1000 atrasada em 20 dias sob as condições mais duras de cobrança de multa para um consumidor: 2% do valor da cobrança. Nesse caso, o cálculo ficaria: 1000,00 x 2% = R$ 20,00, sendo o valor final a ser pago R$ 1020.

Dicas para evitar que sua renda seja afetada pelos juros de mora

Ninguém quer ter que ficar pagando multas e juros de mora por atraso no pagamento de uma conta e, por mais trivial que possa parecer, a forma mais eficiente de evitar essas cobranças desnecessárias em boletos e faturas é não permitindo que as contas vençam por falta de atenção. Ou seja, é essencial se organizar e manter tudo em dia sempre.

Existem diferentes maneiras de se organizar para não ter sua renda comprometida desnecessariamente, sendo algumas delas:

  • colocar todas as contas possíveis no débito automático;
  • manter um controle de gastos para não se enrolar com as contas mais importantes;
  • agendar lembretes no celular alguns dias antes do vencimento dos boletos e pagamentos mensais;
  • agendar pagamentos de forma prática.

A Nova Época espera ter esclarecido o que de fato são os juros de mora e, com esse post, nosso lembrete é: organização e planejamento financeiro são essenciais para que você não fique refém desse tipo de cobrança.