Já ouviu falar em casas de contêineres? Conheça o método

Essa nova modalidade de construção civil e arquitetura chegou no Brasil em meados de 2011, mas já era bem conhecida no exterior.  A solução é bastante sustentável, já que reutiliza materiais que seriam descartados e deixados esquecidos em portos ou aterros, e os utilizam para edificações diversas, sejam casas comuns ou até mesmo hotéis.

As principais vantagens são a redução do prazo do projeto, o custo exato e a entrega da casa praticamente pronta. São duas etapas: preparar o terreno e construir a casa na fábrica. O meio termo é o transporte e instalação. A redução do custo é relativa. Se construir como deve ser isolada termicamente, seca, com preparação acústica, acaba sendo quase o mesmo valor de uma de alvenaria.

O sistema é inovador para quem busca um design diferente, tem praticidade e agilidade na execução. Tem uma característica metálica, com estilo industrial. Podemos incorporar vários elementos que vão transformando os contêineres em espaços harmoniosos e confortáveis.

Como é feito:

As empresas que fazem esse tipo de casa compram os contêineres usados, geralmente têm de 10 a 15 anos de uso de companhias de transporte marítimo ou terminais. O tradicional, maior, é de 40 pés (12 metros de comprimento, 2,45 metros de largura e 2,60 metros de altura) e tem também o de 20 pés (6 metros de comprimento).

Após a compra, o contêiner vai para a fábrica e passa por um processo que garante descontaminação. É alinhado e são retirados os amassados. Depois são riscadas portas e janelas, recortadas e reforçadas estruturalmente. Ele é pintado interna e externamente. Depois é construída a casa do zero, com materiais a seco. Revestimos de gesso tanto teto, quantas paredes. Pisos costumam usar porcelanatos ou vinílicos.

Mercado:

O mercado está em expansão, mas falta conhecimento dos processos e nem todas as empresas vendem a casa completa, mas apenas o contêiner com porta e janela.

Legislação:

As casas de contêineres são submetidas às mesmas legislações municipais que as de alvenaria e são proibidas em algumas cidades. Muitas vezes elas não são compatíveis com as alturas exigidas, por exemplo. Mas é feito o projeto arquitetônico para aprovação nos órgãos públicos, da mesma maneira que residências de alvenaria, inclusive seguindo o zoneamento permitido na área de instalação.

 

Casas feitas com containers podem ser, então, uma boa alternativa para morar em um lar-doce-lar mais sustentável e, algumas vezes, até mais barato! Além disso, é um estilo diferente e com o material é possível criar diferentes formas e maneiras de se adaptar. No Brasil existem algumas empresas, como a Bunker Metal, que oferecem esse tipo de construção.

 

E você, moraria em casas containers?