Entenda porque é importante que você separe o lixo orgânico do reciclado na sua casa

A Nova Época Imóveis já falou aqui no blog algumas vezes sobre a importância de adotar medidas sustentáveis dentro de casa, mas você sabia que somente realizar coleta seletiva não basta? Separar o lixo orgânico do reciclável pode parecer uma ação simples e pequena, porém, causa um grande efeito no meio ambiente quando feita da maneira correta e sustentável. Isso porque todo o lixo que geramos tem um impacto no meio ambiente, um problema que só cresce uma vez que a poluição na terra e na água é sem precedentes.


Uma maneira de resolver esse problema é através da reciclagem do lixo e o primeiro passo para isso é saber separar corretamente o lixo, ou seja, de acordo com sua composição. Com um cenário que só vem se intensificando cada vez mais negativamente, é importante uma conscientização urgente e boas práticas para a natureza. Segundo estudos, a principal barreira para o descarte é a falta de pontos de coleta especializados por perto, além da ausência de informação de como descartar esses resíduos da maneira correta. 


Para te ajudar a compreender melhor o assunto e descartar seu lixo da maneira correta, trouxemos aqui esse post para explicar a importância dessa separação e como ela pode ser realizada de maneira mais prática e rápida, assim, ajudando a preservar o meio ambiente! Não deixe de nos acompanhar aqui no blog e em nossas redes sociais para mais dicas sustentáveis e outros conteúdos interessantes!


Afinal, o que se enquadra como lixo orgânico?


Antes de mais nada, vamos entender o que é o lixo orgânico, assim, você pode ter certeza de estar separando e descartando tudo da maneira correta. Os lixos orgânicos são todos que possuem origem biológica, ou seja, restos de alimentos e qualquer outro derivado de matéria biológica. 


Uma forte característica desse tipo de lixo, que pode te ajudar a identificá-lo, é em seu tempo de decomposição, que pode ser de dias até 3 meses, como cascas de frutas e dos legumes.


E o que são resíduos recicláveis?


Agora que entendemos o que se encaixa em lixo orgânico, relembraremos o que são os resíduos recicláveis. Eles são aqueles resíduos descartados que podem retornar para o uso doméstico tanto para virar o mesmo produto ou itens diferentes dos originais, como a maioria dos papéis, plásticos, papelões, vidros, metais e alumínio. 


Qual a importância de separar o lixo orgânico do reciclável?


Poucos minutos de atenção para fazer essa separação dos resíduos orgânicos e dos reciclados pode evitar muitos danos significativos não somente ao ambiente, mas também às pessoas. Além disso, você também pode economizar energia, matéria-prima, água e espaço de aterros e lixões, afinal, os primeiros problemas de não separar o lixo corretamente começam já horas após juntar o orgânico do reciclável.


Pelo lixo orgânico gerar um odor muito forte, que pode ser percebido pouco tempo após exposto ao ambiente, ao entrar em contato com outros tipos de lixo, como o papel, papelão, plástico, entre outros materiais, começa a espalhar esse odor, que pode ser prejudicial não somente para o meio ambiente, mas também para a saúde das pessoas. 


Quais os problemas a falta de separação dos lixos pode gerar a médio e longo prazo?


Na mistura do lixo orgânico com o reciclado, muitos itens que poderiam ser reaproveitados e devolvidos para o uso, evitando a poluição do meio ambiente, acabam sendo jogados fora. Além disso, a médio prazo, a produção de produtos com embalagens recicláveis acaba se tornando mais caro, o que naturalmente aumenta também seus preços finais.


Já a longo prazo, o transtorno pode ser ainda maior, pois, com a incapacidade de gerenciar todo esse lixo, os recursos naturais resultam em um aumento ainda maior de preços, mencionado acima, além da escassez de recursos. Outro problema é com relação à água, pois o volume de uso na produção de objetos recicláveis é grande, implicando no acesso à água potável e ao desperdício. Isso pode acabar resultando em hidrelétricas com queda de produção e gerar até possíveis secas, em grandes cidades que têm períodos onde não chove tanto. 


Por quê a decomposição é outro motivo para essa separação de lixos?


Além de todas as advertências citadas acima, o tempo de decomposição do lixo no meio ambiente pode variar muito de acordo com cada produto, tornando a separação de cada lixo ainda mais importante. Alguns materiais, como o vidro, demoram centenas de anos para sumir completamente da natureza, enquanto outros, como o papel, levam poucos dias.


Apesar disso, independentemente do tempo de decomposição, muitos desses materiais causam danos irreparáveis ao meio ambiente e também aos seres vivos, por isso, não devem ser descartados de maneira incorreta. Por conta disso, a consciência ecológica se faz cada vez mais necessária, assim como repensar os hábitos de consumo. Para que isso seja feito da maneira correta, é preciso ficar atento aos tipos de materiais que serão descartados. 


Mas de fato como separar o lixo da forma correta?


Agora que compreendemos a importância de saber separar o lixo corretamente, é necessário entendermos como fazer essa separação da maneira adequada, mesmo não contando com lixeiras identificadas dentro de casa. Além disso, entender qual a categoria de cada lixo também é fundamental para manter uma rotina correta de separação. Abaixo falaremos um pouco mais sobre isso.


Como separar cada um dos tipos de lixo?


Reciclável


Como observamos lá em cima, o lixo orgânico é composto principalmente por papel, vidro, alguns tipos de plástico, alumínio e papelão. Porém, caso você não tenha tempo ou espaço para fazer essa seleção mais atenta, não tem problemas! É possível fazê-la colocando o vidro com alumínio, desde que o destino ou posto de coleta de recicláveis aceite receber esses dois tipos de materiais. 


É importante, ainda, que no momento da separação do lixo você também faça a higienização dos resíduos, assim, é possível evitar que o espaço atraia insetos que se proliferam e causam doenças, além de desconforto com odores em casa e ao profissional que vai recolher.


Perigosos


É importante apontarmos que também existem alguns materiais perigosos e merecem uma atenção especial no momento do descarte. São eles as lâmpadas fluorescentes, que possuem mercúrio altamente poluente; os cartuchos e toners; as pilhas e baterias; os eletrônicos, como monitores, cabos, teclados, celulares, CPUs; os estabilizadores e eletrodomésticos. 


Todos esses materiais podem conter chumbo, mercúrio, bromo e cádmio, além de outros materiais perigosos para o meio ambiente e para nós mesmos. O mais ideal é separar o lixo e levar estes para centros de coleta específicos. 


Orgânicos


Eliminando de maneira correta, também é possível reciclar o lixo orgânico, podendo transformá-lo em adubo e até mesmo combustível. Os orgânicos podem ser reciclados dentro de casa mesmo, por meio da compostagem ou embalados em sacolas biodegradáveis e encaminhados para aterros. 


A composteira é outra opção, sendo um reservatório para esse tipo de lixo, e pode ser encontrada de diversas formas, como barril, tonel, madeira, recipientes criados a partir de tijolos, tela de arame, entre outras. Seu uso reduz cerca de 50% do lixo gerado pelas residências, se mostrando uma das melhores formas de fazer o descarte de lixos orgânicos.


A Nova Época Imóveis espera que você tenha gostado do post e conseguido entender a importância da separação de lixos de acordo com suas composições, afinal, isso não beneficia somente o meio ambiente, mas também nós e nossas gerações futuras! 

 

 

 

Escrito por Mariana Carvalho

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

Ao enviar, aceito a Política de Privacidade