Conheça os principais mitos sobre o leilão de imóveis

Não é a primeira vez que a Nova Época Imóveis fala sobre leilão de imóveis, mas você já conhece as questões que não passam de mitos e que, muitas vezes, fazem as pessoas desistirem de optar por essa modalidade? Visto como uma das modalidades mais transparentes, seguras e rápidas de compra na relação com o consumidor, o leilão é uma forma de venda de propriedades ao público. 


O leiloeiro se encarrega de fazer o anúncio e estipular um valor mínimo para a aquisição do bem. Dessa forma, aqueles que estão interessados dão os devidos lances e o mais alto vence, arrematando o imóvel. Com o avanço da tecnologia e da internet, já é possível encontrar e comprar um bom imóvel com poucos cliques. 


Apesar de ser uma estratégia simples, existem alguns mitos sobre leilões de imóveis que podem dar uma imagem equivocada acerca dessa modalidade. No entanto, o leilão de imóveis é apenas mais uma maneira de adquirir uma propriedade e, em muitos casos, pode ser um excelente negócio tanto para quem compra quanto para quem vende. 


Nesse post, a Nova Época vai abordar e esclarecer alguns dos principais mitos sobre o leilão de imóveis, assim, você pode entender melhor um pouco melhor essa modalidade. Em caso de dúvidas ou para mais informações, não deixe de entrar em contato com um dos nossos corretores! E para mais informações e dicas sobre a compra e venda de imóveis, confira nosso blog!


1. Os pagamentos precisam ser feitos à vista


Um dos principais e mais difundidos mitos sobre o leilão de imóveis, que está longe de ser verdade, é que os pagamentos devem ser feitos à vista. Afinal, cabe ao arrematante fazer a escolha da forma de pagamento que melhor se adequa ao seu orçamento. É importante lembrar, ainda, que em um leilão judicial é permitido também que o imóvel seja quitado através de uma entrada de 25% do valor do bem. O saldo restante pode ser dividido em até 30 parcelas, ficando a critério do comprador decidir. 


Além disso, existem ainda os leilões extrajudiciais, que possibilitam o parcelamento ou o financiamento de um imóvel. Eles podem acontecer por meio de uma iniciativa e autorização do proprietário ou para quitar uma dívida de algum processo judicial. Porém, é sempre essencial conferir o edital e conhecer as regras, assim como as características da propriedade. Além disso, vale ressaltar que algumas instituições financeiras que se responsabilizam pelo pagamento oferecem ótimos descontos à vista.


2. Sempre há problemas para desocupar o imóvel


Sem dúvida, esse é um dos maiores mitos sobre leilões que assustam e impedem algumas pessoas que não conhecem essa modalidade de negociação de buscarem um bom negócio. Claro que, em alguns casos, pode acontecer uma demora para os antigos moradores desocuparem o local, porém, isso não é uma regra. Ao adquirir o imóvel, um bom diálogo do arrematante com o ex-proprietário pode resolver a questão. 


Mesmo que isso não te tranquilize, não precisa se preocupar, pois não é difícil conseguir que o ex-proprietário desocupe o local. Isso porque hoje a lei está do lado do comprador e, em muitos casos, quando uma negociação amigável para a saída dos antigos moradores não funciona, você pode optar por um processo judicial para solicitar a desocupação pela justiça. 


3. Somente investidores ou quem conhece o mercado pode comprar em leilões


Outro mito sobre leilões muito propagado é a suposta complexidade que envolve a negociação, o que pode fazer com que grande parte dos compradores caiam em “ciladas”, o que não é o caso, evidentemente.  A possibilidade de comprar um imóvel em leilão é praticamente para qualquer tipo de público.


Isso porque a negociação envolvida não é muito diferente da que ocorre em uma imobiliária, por exemplo. Atualmente, a grande maioria do público dos leilões de imóveis são pessoas físicas interessadas em comprar seu primeiro imóvel.


4. Os valores são iguais aos do mercado


Esse é mais um mito que não condiz com a realidade, pelo contrário. É possível sim comprar um apartamento por um preço mais atrativo e essa é uma das características que despertam o interesse de muitas pessoas para participar de leilões de imóveis. Isso porque, muitas vezes, algumas propriedades são leiloadas às pressas para quitar uma dívida, por exemplo, e os preços podem ser muito compensadores.


Nos leilões extrajudiciais também é possível encontrar imóveis a preços mais baixos dos praticados no mercado, por conta da pressa do proprietário em relação à venda. Nesse contexto, o leiloeiro vai estipular um preço inicial baixo para que, no final, o imóvel seja arrematado por um valor mais justo. Porém, ainda assim, é um negócio mais vantajoso. 


5. O comprador deverá arcar com todas as dívidas pendentes


Essa é outra questão que precisa ser desmistificada, pois afasta muitas pessoas dos leilões de imóveis. Esse é um mito, já que o arrematante do leilão não arca com as hipotecas em aberto, pelo contrário, o novo proprietário é isento dessa dívida do ex-proprietário. Ao finalizar o leilão, basta notificar o credor e, dessa maneira, a hipoteca deixa de existir.


6. Comprar um imóvel em leilão envolve muita burocracia


No passado, de fato, esse processo envolvia uma burocracia mais extensa e árdua. Porém, o avanço da tecnologia também impactou o mercado nesse aspecto, tornando possível que todo o processo, desde o cadastramento até o arremate do bem, seja realizado por meio da internet, de maneira simples e transparente. 


Com esses mitos esclarecidos, a Nova Época espera ter te mostrado que os leilões de imóveis são uma ótima alternativa na hora de adquirir um novo imóvel, mesmo que este seja seu primeiro. E para mais informações ou em caso de dúvidas, não deixe de entrar em contato conosco, nossos corretores estão sempre à disposição para te ajudar com o que for necessário! 
 

 

 

Escrito por Mariana Carvalho