Tudo o que você precisa saber para se tornar um corretor de imóveis

Caso você não saiba, a profissão de corretor de imóveis hoje em dia é regulamentada e exige uma formação específica. Essa é uma profissão que está em alta, muitas pessoas estão migrando de outras áreas para esse setor em busca de maiores rendimentos, principalmente.

A vida de um corretor de imóveis pode ser cheia de atrativos, como autonomia, rotina flexível, liberdade para escolher onde trabalhar, benefícios na qualidade de vida, altos ganhos e realização profissional. Porém, para chegar nesse estágio, há um longo caminho a se percorrer. E você sabe como ingressar nessa carreira?

Apesar de ser cheia de conquistas, a vida de um corretor de imóveis é desafiadora e você deve estar atento a todos os passos que deve dar para começar uma carreira, além de saber os altos e baixos que irá encontrar no caminho.

A Nova Época veio te ajudar e trouxe para você algumas dicas do que fazer para se tornar um corretor de imóveis. Não se esqueça que nossa empresa oferece um curso de especialização, para ajudar a melhorar o desempenho dos nossos associados. Por isso, se for de seu interesse crescer nesse ramo, fale conosco e entre para o time!

Quais os requisitos para se tornar um corretor de imóveis

O corretor de imóveis é o profissional responsável pela aproximação entre o comprador e o vendedor em uma intermediação imobiliária e para exercer esse papel ele precisa ter um registro no órgão federal que regulamenta e normaliza essa profissão, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI).

O primeiro passo para se tornar um corretor é ter uma boa preparação. Além disso, é necessário aprender sobre marketing imobiliário, desenvolver habilidades de negociação e ter uma formação específica para atuar na área. Agora vamos enumerar os passos e pré-requisitos para ingressar nessa profissão.

1.Faça um curso de formação de corretores

Um dos primeiros e principais requisitos para se tornar um corretor de imóveis é investir na sua formação profissional na área imobiliária. Alguns cursos superiores, como administração, marketing, arquitetura e engenharia, ajudam nessa profissão, mas só eles não são suficientes para qualificar um corretor de imóveis.

A formação adequada fornece informações específicas sobre esse setor que são importantes para que você entenda como lidar com esse mercado, tendo os conhecimentos fundamentais para comprar, vender e alugar imóveis. Existem três opções de cursos e elas são:

  • Bacharelado em Ciências Imobiliárias (duração de 4 anos);
  • Técnico de Transações Imobiliárias (duração de 1 ano);
  • Técnico em Negócios Imobiliários ou Gestão Imobiliária (duração de 2 anos)

2. Faça estágios

Dependendo da instituição escolhida, o estágio pode ser um passo obrigatório ou não e, caso não seja, é importante que você faça um, pois é nele que você colocará em prática todos os conhecimentos absorvidos durante sua formação.

Além disso, é nele que o futuro corretor identificará qual área ele tem mais afinidade e, consequentemente, onde ele atuará. É nessa fase do processo que o aluno possuirá um responsável técnico, ou seja, um corretor credenciado, que vai responder ao CRECI pelo seu estágio. Quem indica ao estagiário seu responsável técnico é a imobiliária onde o estudante vai trabalhar.

3. Tire o diploma

Ao concluir a formação do curso, depois de cumprir todos os requisitos necessários para isso, você ainda não é considerado um corretor de imóveis, mas sim um técnico em transações imobiliárias. Não deixe de tirar o diploma, pois, sem ele, você não consegue prosseguir nesse mercado.

Para alcançar a condição de corretor você deverá ir ao CRECI da sua região, levando uma série de documentos solicitados, recolher as taxas necessárias e solicitar a sua carteira com um número de inscrição profissional específico.

4. Registro no CRECI

Com todos os passos anteriores feitos, falta receber a carteira profissional de corretor de imóveis. Como já dito antes, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis é a instituição que regulamenta e normaliza essa profissão, além de prestar suporte ao corretor. Logo, para que você possa atuar na área, é preciso ser credenciado por esse órgão regulador.

Os documentos que você deve levar para o CRECI são:

  • CPF;
  • Carteira de identidade;
  • Certificado de conclusão do Ensino Médio;
  • Título de eleitor e comprovante de votação na última eleição;
  • Diploma de curso técnico, tecnológico ou bacharelado;
  • Comprovante de residência recente;
  • Fotos 3x4 recentes (a quantidade pode variar de acordo com o estado);
  • Comprovante de pagamento da anuidade, emolumentos e taxas emitidas pelo CRECI

O órgão avaliará seus documentos e em 30 a 60 dias seu registro é aprovado. Lembre-se: é somente nesse momento, quando você tem seu documento em mãos, que se torna um corretor de imóveis e que poderá exercer a profissão legalmente, intermediando negociações imobiliárias.

5. Depois de pegar a carteira

Ainda é uma dúvida frequente se para exercer essa profissão vale mais à pena ser pessoa jurídica ou física. Antes de pensar nisso, no entanto, é preciso que fique claro que essa escolha não irá interferir na sua atuação como corretor de imóveis. Portanto, independente da sua escolha, você poderá exercer a profissão livremente desde que tenha o CRECI.

Caso esteja preocupado com a emissão de notas fiscais, saiba que corretor autônomo pode emiti-las normalmente, basta realizar um cadastro na Prefeitura do seu município e realizar o pagamento das taxas necessárias.

Como podemos ver, o caminho a ser traçado e percorrido por quem se interessa nessa área e mercado é longo e tem muitos detalhes ligados a responsabilidade da atividade que você exerce como corretor. Pode ser um processo trabalhoso, mas também é muito gratificante se você encarar como uma oportunidade de aprimorar seus conhecimentos.

A Nova Época espera que esse post tenha te ajudado a entender melhor esse processo e o que é preciso para fazer parte desse mercado.