Porque o mercado imobiliário pode se tornar mais democrático

A pandemia transformou a vida das pessoas e parte dessas mudanças veio para ficar, algo que pode ser bastante saudável para a sociedade e o mercado imobiliário.

O home-office não é algo novo, mas o coronavírus levou empresas que nunca tinham cogitado esse sistema a adotá-lo. Ainda que a vida no escritório seja importante, que o contato pessoal seja necessário, ficou evidente que há vantagens no home-office, como a economia de tempo e o fim das viagens desnecessárias que aconteciam simplesmente por hábito.

Acredito que deveremos ter um modelo mais flexível de trabalho daqui para a frente. Isso tem um impacto relevante no mercado imobiliário. As pessoas estão valorizando mais os espaços onde vivem porque passam mais tempo neles. Quem tem condições financeiras está comprando imóveis maiores e casas. A busca por casas de venda de imóveis aumentou em 2020.

Vejo o mercado imobiliário se tornando mais democrático e inclusivo, a localização sempre será algo valorizado nesse setor. Muitas pessoas podem abrir mão de localização e, com isso, conseguem comprar imóveis pagando preços que cabem em seus orçamentos.