Mercado Imobiliário: como anda e o que mudou com a pandemia

O ano de 2020 está sendo um pouco atípico e está trazendo consequências inesperadas em todos os setores do mercado, inclusive no mercado imobiliário. Com o cenário de pandemia, diferentes áreas foram afetadas economicamente e todos, principalmente os profissionais desse mercado, tiveram que se readaptar com as novas regras de convivência que surgiram, como o distanciamento social, tendo que implementar algumas mudanças. Porém, alguns aprendizados foram importantes e se sobressaíram, devendo permanecer após a pandemia, e nós devemos saber identifica-los.

No final do ano passado, a taxa Selic estava em uma queda gradativa e a promessa era que 2020 começasse aquecido e se mantivesse assim até o final. No entanto, com os inesperados eventos, diversos setores passaram a enfrentar crises e o mercado imobiliário voltou a ter dificuldades. A pandemia teve um impacto profundo na confiança do cliente e isso foi um dos fatores que abalou o mercado.  O mundo dos negócios mudou rápida e drasticamente, sem ninguém esperar, e o mercado foi forçado a se readaptar.

Porém, crise e euforia acabam e, no mercado imobiliário, a baixa que durou cinco anos finalmente chegou ao fim. Segundo pesquisas, o setor de construção civil teve aumento na oferta e outros indicadores econômicos, como a taxa Selic e o PIB, têm mostrado resultados positivos. É importante que você fique atento e por dentro das mudanças e projeções desse mercado, principalmente se você pensa em trabalhar com ele ou se pensa em comprar um novo imóvel.

As empresas que querem colher os “melhores frutos” no mercado precisam entender todas as mudanças que aconteceram que incluem, principalmente, soluções tecnológicas. Para te ajudar a entender o que mudou no mercado imobiliário, como ele reagiu a crise do coronavírus e quais as projeções para ele após a pandemia, a Nova Época fez esse post para falar sobre esses pontos. Além disso, também vamos mostrar algumas ferramentas que podem ajuda o profissional dessa área a lidar com situações como a que passamos.

 Como estava o mercado imobiliário antes da pandemia?

Para entender melhor tudo o que aconteceu, é importante ressaltar em que pé se encontrava o setor imobiliário antes do coronavírus e das consequências que ele trouxe. Como já dito antes, o ano de 2020 começou com uma expectativa de crescimento e estabilização da economia diante do cenário de reaquecimento do setor demonstrado em 2019.

Qual foi a reação do mercado imobiliário?

Em resposta aos impactos do novo coronavírus e para estabelecer bases para lidar com suas possíveis mudanças permanentes, profissionais e empresas imobiliárias tiveram que começar a agir para impedir problemas e evitar que a curva de negócios afundasse mais. Gerenciamento de caixa e reversão de produtos em portfólio para trabalhar, reduzindo produtos com baixa liquidez e velocidade de venda reduzida, foram algumas das medidas tomadas.

Com as novas regras de convivência que surgiram, como o distanciamento social, algumas empresas e profissionais do setor perceberam que a digitalização e uma melhor experiência para seus clientes começou a se fazer necessário.

Como esse segmento se manteve ativo durante a pandemia?

Com a crise do coronavírus, o mercado imobiliário precisou fazer algumas adaptações. Algumas empresas passaram a oferecer condições de pagamento facilitadas e gratuidade em algumas taxas, além de terem diminuído os valores mínimos de entrada em alguns casos. Com as visitas aos imóveis restringidas, oferecer imagens e vídeos de boa qualidade para pessoas interessadas para que elas possam conhecer o imóvel sem ter que fazer visitas presenciais foi outra forma das empresas se adaptarem.

Além disso, aplicativos passaram a ser a chave para que os negócios continuassem e, por isso, as empresas passaram a investir mais na parte digital. Com os aplicativos, o comprador pode filtrar os imóveis, encontrando os que mais combinam com seu perfil.

Qual foi o impacto econômico da pandemia no mercado imobiliário?

Com a restrição econômica, os preços das residências sofrem mudanças e isso pode se mostrar favorável tanto para o proprietário quanto para o inquilino. É comum que, em certos momentos, há uma baixa de valores para que as ofertas se tornem mais atrativas e, assim, o setor não é tão afetado economicamente.

Apesar da situação ainda não estar totalmente resolvida, ainda há a oportunidade de realizar negociações. Por isso, vale à pena fazer pesquisas online por imóveis e entrar em contato com imobiliárias para conhecer as ofertas. Diferente do que muitos pensam, é possível sim encontrar o lar ideal.

Quais as tendências para o mercado imobiliário após a pandemia?

Empresas mais tradicionais, que mantinham grande parte das suas operações voltadas para a interação pessoal com os clientes, sofreram ainda mais com dificuldades trazidas pelas consequências da pandemia, como o distanciamento social. Esse novo contexto ampliou a necessidade das empresas investirem em novas tecnologias para superar esse obstáculo.

Alguns especialistas acreditam ainda que o setor imobiliário pode ser o responsável por ajudar a retomada da economia após a pandemia, já que esse é um mercado considerado seguro para investimentos. Além disso, esse segmento de mercado já apresentou recuperação em outros contextos de crise ao longo dos anos na economia brasileira e mundial, outro motivo para acreditar que esse é um mercado bom e seguro para se investir.

Como lidar com crises e ter boas oportunidades de negócio?

Atualmente, as empresas imobiliárias estão focadas em trabalhar de maneira intensa para enfrentar a crise com relação aos clientes finais. A crise do coronavírus acelerou a necessidade das empresas terem sempre uma segunda estratégia para que a recuperação seja mais rápida e constante e mostrou que empresas que não se planejam para todos os possíveis cenários podem ter mais dificuldade para lidar com crises.

A crise do coronavírus mostrou que as empresas devem desenvolver e buscar estratégias digitais para que, em momentos como o que estamos passando, seus serviços possam estar disponíveis e em fácil alcance para seus clientes, principalmente se as empresas forem do setor imobiliário. Outros resultados diretos da pandemia ainda incluem a necessidade de se envolver de modo significativo em protocolos de saúde para preservar não só os clientes, mas também quem trabalha nas imobiliárias.

Quais dicas podem ajudar a gestão comercial imobiliária a se recuperar mais rápido?

1. A tecnologia é sua amiga!

Como já dito antes, a pandemia provou o quanto o mercado está imerso na era digital. Com isso, podemos dizer que a tecnologia tem sido a principal ferramenta que intervém cada minúcia do nossos dia a dia. Por isso, a melhor maneira de automatizar cada etapa do processo de venda, de marketing e de todos os outros processos do seu negócio é usando a tecnologia a seu favor.

Existem inúmeras possibilidades e áreas que a tecnologia pode auxiliar seu negócio e alavancar suas vendas, gerar novos leads e estabelecer a sua empresa imobiliária como uma das ou a melhor do mercado, por isso, aproveite todos os dispositivos de tecnologia e invista nessa área.

2. Automatizas processos é a chave!

Na atual conjuntura, muitos são os fatores que podem influenciar no fechamento de uma venda, por isso, a melhor opção é criar mecanismos de automação de processos para que você possa ter uma administração mais eficaz, que trabalha com dados e números gerados durante as negociações.

É importante que as empresas invistam em uma ferramenta de administração que possa fazer integração não somente com o seu banco de leads, mas também com outros mecanismos de negociação.

3. Peça ajuda a um especialista!

Uma ótima e importante dica para o mercado imobiliário 2020 depois da pandemia é contratar serviços de uma empresa que seja perita em soluções tecnológicas e vendas. Assim, você pode ser auxiliado na hora de estruturar processos e estratégias que possam tornar suas vendas cada vez mais eficazes.

Não deixe de ficar sempre ligado no mercado imobiliário e nas suas tendências e projeções. É importante saber um pouco sobre esse mercado antes de comprar um novo imóvel. A Nova Época espera ter esclarecido esse assunto e não se esqueça, qualquer dúvida entre em contato conosco!