Dicas que vão te ajudar a se proteger das fraudes em boletos

As fraudes em boletos se tornaram frequentes com o passar dos anos e preocupam muito na hora de fazer transações pela internet ou por aplicativos. De fato, algumas falsificações são muito semelhantes aos documentos originais e podem facilmente enganar pessoas que não conferem cada detalhe, por isso, é essencial entender como se proteger. 


O grande segredo aqui está em ficar por dentro de tudo o que é alterado e manter o radar sempre alerta. Para te ajudar nessa tarefa, a Nova Época Imóveis trouxe algumas dicas de segurança importantes, que devem se tornar seu guia toda vez que você for realizar algum pagamento de boleto. Em caso de dúvidas entre em contato com um dos nossos corretores e para mais dicas e informações do mercado imobiliário, não deixe de conferir nosso blog!


1. Preste atenção nos detalhes importantes


A primeira dica da nossa lista que vai te ajudar a garantir que um boleto não é fraudado é avaliar alguns detalhes que evidenciam sua legalidade. Esses detalhes podem ser checados de forma bem simples por quem vai realizar seu pagamento. Os dígitos finais do código de barras, por exemplo, devem ter o mesmo número que o valor do boleto. Verificar esse detalhe é essencial.


No caso de haver diferença entre esses números, existe a possibilidade de ser um golpe. Mudanças repentinas no valor também precisam ser checadas e você pode fazê-lo com o emissor do boleto. Não deixe de confirmar, ainda, seus dados pessoais, o CPF do pagador, além de ler tudo com muita calma e atenção e não efetue pagamentos em boletos com erros de português ou de formatação!


2. Confirme os dados do beneficiário


Além dos seus próprios dados, também é essencial checar com cautela os dados do beneficiário. No próprio boleto, procure conferir o CNPJ ou o CPF do credor e o nome da instituição. Caso você costume fazer pagamentos frequentes para o emissor do boleto e receba uma nova via com o banco ou a data de vencimento diferentes, desconfie!


Ainda é imprescindível que você verifique a origem do emissor na realização de compras ou aquisição de serviços não habituais. Procure consultar as referências em boletos emitidos por lojas a partir do CNPJ, veja sua reputação na internet e os comentários de outros clientes que já fecharam negócios semelhantes.


3. Verifique o código do banco


O código do banco é correspondente ao Código das Instituições Bancárias na Compensação. É constituído por três dígitos, além do dígito verificador. Cada banco tem um número próprio e pode ser consultado de maneira fácil e rápida de forma online. Caso você esteja acostumado a fazer os pagamentos de forma digital, procure dar preferência por ler o código de barras pelo celular ou diretamente no caixa eletrônico.


Isso é um reforço que ajuda a garantir a segurança, pois, de modo geral, boletos adulterados por fraudadores não costumam ter o código de barras compatível com as informações. A vítima do golpe costuma digitar a sequência de números de forma manual para que a operação seja concluída. Em um código de barras ilegível, é necessário checar todas as informações com o emissor. 


4. Procure baixar os boletos no site do banco


O site do banco ou do credor que vai receber o pagamento é sempre o melhor caminho para evitar problemas com pagamentos de boletos fraudados. Se você não recebe os boletos por e-mail com frequência de certo emissor e do nada, sem mais nem menos, ele chega com um assunto urgente, desconfie! 


Uma ótima dica nessa situação é procurar sempre ter um serviço de antispam de confiança no seu e-mail. Já aconteceu de golpes em que a mensagem foi enviada para o endereço da vítima e, dessa forma, a falsificação se torna muito bem feita visualmente. Por isso, recorrer ao site do recebedor é uma garantia de que o boleto não passou por modificações ou falsificações.


5. Tenha cuidado com os boletos enviados pelas redes sociais


É verdade que as redes sociais desenvolveram inúmeros canais para ajudar a facilitar a comunicação dos clientes com as marcas e empresas. Por ser possível receber boletos por WhatsApp, por exemplo, já existem golpes de quadrilhas especializadas em pedir pagamentos indevidos aos usuários. Com isso, ao receber um boleto por uma rede social, procure fazer sempre a conferência de todos os dados e, se possível, peça sempre o envio por e-mail. 


Caso se trate de um credor que tenha uma plataforma específica, procure fazer a verificação da cobrança por lá e emita o boleto diretamente do site. Mesmo que a pessoa que fez o contato por rede social aborde assuntos relacionados ao pagamento com informações específicas, é sempre válido ter muito cuidado ao fazer pagamentos sem antes ter certeza de que o boleto emitido é válido. 


6. Mantenha o antivírus atualizado


Antivírus são importantes aliados de quem precisa fazer movimentações financeiras pela internet e, muitas vezes, com a sobrecarga de tarefas no dia a dia, podemos acabar esquecendo de atualizá-los. Um malware conhecido na internet como Bolware pode ser instalado em uma máquina sem que o usuário saiba e, uma vez que esse vírus está no sistema, boletos gerados online podem ter o código de pagamento adulterado para que o valor seja repassado para o criminoso. 


Com isso, quando todas as etapas de verificação não são realizadas de maneira adequada, a conta paga vai para um hacker que é praticamente impossível de ser identificado, ou seja, dinheiro perdido. Esse tipo de vírus é muito simples de ser combatido e a maioria dos antivírus gratuitos conseguem proteger seu computador contra ele e identificar sua presença. Vale reforçar, ainda, a importância de poder contar com um bom software de segurança, um sistema de gestão e fazer varreduras com frequência nas máquinas usadas para pagamentos. 


7. Verifique a segurança do site e do Wi-Fi


A emissão do boleto no site do credor também precisa de algumas verificações de segurança. Por isso, é essencial checar se a página acessada é a verdadeira e o endereço precisa sempre começar com HTTPS. Os endereços de internet mais seguros apresentam o selo de certificação SSL. Ele é responsável por proteger contra todas as invasões. Fique de olho, também, no Wi-Fi acessado na hora de fazer qualquer transação bancária. 


Em redes públicas, os ataques ao roteador podem gerar falsificações em páginas que podem alterar um boleto com características semelhantes ao baixado no site oficial do emissor. Extensões suspeitas instaladas no navegador também podem aumentar as chances de sofrer com fraudes virtuais. No geral, essas extensões aparecem com intuitos inocentes, como avisar sobre descontos, e acabam colocando sua conta bancária em risco. 


Com todas essas dicas, a Nova Época Imóveis espera te ajudar a evitar cair em golpes de boletos fraudados! Lembre-se, fique sempre atento aos detalhes e se algo sair do normal, desconfie! 
 

 

 

Escrito por Mariana Carvalho

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

Ao enviar, aceito a Política de Privacidade